quarta-feira, 24 de maio de 2017

O meu livro-bíblia de mulher solteira

Meu livro acabou de me pregar uma peça. Eu não acredito em coincidências, vou logo dizendo.
Enquanto estudava pra essa prova senti uma enorme angústia. Mas não para o lado ruim, era uma aflição, ansiedade, não sei, Eu só queria terminar de estudar aquilo e fazer algo divertido, prazeroso. Larguei os textos de filologia românica e me perguntei "E agora? Assisto Inuyasha? Vejo Discovery Home & Health? Pego a toalha pra bordar até me dar sono?" Não. Apesar de tudo isso me dar uma sensação incrível de felicidade e prazer, não era isso que eu queria. Então me lembrei da última coisa que havia me proporcionado algo que talvez suprisse a minha ansiedade: a leitura do meu livro-bíblia: Comer, rezar e amar.
Mas ainda faltava alguma coisa. Fui na cozinha, lembrei que ainda havia 1/5 de uma lata de batatas fritas industrializadas sobre a mesa. Isso bastaria, era gostoso, tinha a gordura e o sal que eu precisava. Então me deitei e comecei a ler.

"Eu precisava fazer alguma coisa em relação àquele meu desejo, então me levantei, fui até a cozinha de camisola, descasquei meio quilo de batatas, eferventei-as, cortei-as, fritei-as na manteiga, salguei-as generosamente e comi tudo até o último pedaço - sem nunca deixar de perguntar ao meu corpo se ele faria a gentileza de aceitar a satisfação de meio quilo de batatas fritas em vez do prazer proporcionado pelo sexo."

Parei. Olhei pra lata de batatas no meu colo.
Meu Deus.
Meu Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário