terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

WestWorld

Sinopse

Westworld é um parque temático futurístico para adultos, dedicado à diversão dos ricos. Um espaço que reproduz o Velho Oeste, povoado por andróides – os anfitriões –, programados pelo diretor executivo do parque, o Dr. Robert Ford (Anthony Hopkins), para acreditarem que são humanos e vivem no mundo real. Lá, os clientes – ou novatos – podem fazer o que quiserem, sem obedecer a regras ou leis. No entanto, quando uma atualização no sistema das máquinas dá errado, os seus comportamentos começam a sugerir uma nova ameaça, à medida que a consciência artificial dá origem à "evolução do pecado". Entre os residentes do parque, está Dolores Abernathy (Evan Rachel Wood), programada para ser a típica garota da fazenda, que está prestes a descobrir que toda a sua existência não passa de bem arquitetada mentira.



O que eu gostaria de refletir (Spoiler)

Parece que, nessa altura da vida, o mundo já não se interessa pelo sobrenatural. Filmes, novelas e programas de TV não prendem a atenção falando do desconhecido. Não há mais conquistas de territórios, já cantamos muita glória em cima das guerras. Os deuses de todo tipo de mitologia já foram incansavelmente usados, reutilizados e novamente descartados. Não há mais bruxas, vampiros e lobisomens são um assunto clichê, anjos e demônios foram aposentados.
Não nos interessamos por nada que venha de fora, julgamo-nos controladores de todas as rédeas do universo (apesar dos filmes de astronautas sempre mostrarem tragédias e famílias destruídas). Agora, o que vale a pena, o que ganha atenção é até aonde conseguimos chegar a partir de uma característica que nos torna nobres seres humanos como a ganância elevada ao extremo.
Eu vejo nessa série uma tendência que começou com Matrix, só que um pouco mais aprofundada. Há muitos detalhes, muitas nuances a se perceber no âmbito religioso, simbólico, artístico e fotográfico. Somente hoje, algumas horas depois de ter visto o décimo e último episódio, percebo, homens como criadores, a Dolores é a Eva de WestWorld. Veja só, uma mulher que tem o fruto do conhecimento (metaforicamente simbolizado por um labirinto) e é a responsável pelo caos daquele pequeno mundo.
A igreja funciona como portal para a consciência e o mais incrível, o mais incrível, é como as pessoas se transformam quando tem todas as possibilidades na mão.
"Que tipo de pessoa você se transformaria se visitasse westworld? Um (a) simples depravado, um (a) assassino, aventureiro? Não se acanhe, eu sei que você seria alguém completamente diferente do que finge ser aqui fora." Foi essa mensagem que eu tirei do primeiro episódio e foi com essa que eu terminei o último. Gosto de séries que não se contradizem, que me inspiram e geram questionamento. Voltemos então ao início desse texto, somos ou não uma geração de Narcisos?


Nenhum comentário:

Postar um comentário