domingo, 4 de setembro de 2016

Ar e fogo, terra e água

É um tanto quanto desconfortante saber que alguns entendem a ideia da passagem pela vida das pessoas e encaram isso como algo natural. As vezes parece cruel a simplicidade com que entram ou saem, você se sente... uma estrada e não um porto. Sem querer desmerecer o ensinamento da viagem, mas dói perceber a necessidade de ser um ponto final para alguém que vê a vida como um carro.

Que a minha água flua por pequenos rios, que eu alimente pequenas nascentes e finalmente desemboque num mar infinito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário