sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Patins:

A qualidade é com a gente e a confiança toda sua. 

Que isso, sou muito boa nos marketings ambíguos. 

O meu lado egocêntrico

- Turma, o segundo livro de Borges se chama "El Aleph" e foi publicado em 1949. O que significa Aleph?
- A letra "a" em hebraico, professor. - Respondi naturalmente.

A última folha do caderno

É onde você encontra números de telefones, lembretes, lista de mercado, estrelas e corações. É lá que você escreve aquele assunto que não pode esperar a aula acabar e a sua amiga, que está do seu lado, TEM que saber. As suas iniciais num coração. Ou sem o coração porque agora isso é brega. Até em árvores que dirá em folhas de caderno. É lá que você descobre a música que ouvia, o menino que amava, que pendências você deixou para o outro dia.
Você é burro de pensar que na última folha do caderno daquela CDF que senta na primeira fileira não tem nada só porque ela é uma menina certinha. Desconfie, seja esperto, as últimas folhas guardam as melhores ideias, os segredos mais surpreendentes.

Receita da opressão

Eu gostaria de estar nua. É mais confortável, aumenta - com o passar do tempo - o nível de aceitabilidade do meu corpo. Talvez, se passasse mais tempo nua, não sentiria tanta vergonha de mim mesma na praia ou na hora de fazer amor.
Acho que todos deveriam ter horas diárias de nudez em suas casas. Para se amar mais, se gostar mais. Mas estou vestida e na faculdade. Queria ficar parada, olhando o nada e tirando meleca se sentisse que algo lá dentro está me incomodando. Aqui as pessoas debatem e argumentam falando e escrevendo, mas olham torto se te vêem em silêncio.
Minha solução foi abrir um texto qualquer e pôr no colo para fingir estar olhando para uma direção (e quem passasse ainda acharia exemplar) e depois colocar os óculos escuros na cara para o caso de querer fechar os olhos e pensar mais intensamente.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Garcilaso de la Vega

Soneto I

Cuando me paro a contemplar mi estado
y a ver los pasos por do me han traído,
hallo, según por do anduve perdido,
que a mayor mal pudiera haber llegado;

mas cuando del camino estó olvidado,
a tanto mal no sé por do he venido;
sé que me acabo, y más he yo senttido
ver acabar comigo mi cuidado.

Yo acabaré, que me entregué sin arte
a quien sabrá perderme y acabarme
si quisiere, y aún sabrá querello;

que, pues mi voluntad puede matarme,
la suya, que no es tanto de mi parte,
pudiendo, ¿ qué hará sino hacerllo?


Notas:
do: donde
estó: estoy
me acabo: en este caso, consumirse, caminar hacia la muerte; en el siguiente verso vale por morir y en v.10 por matar.
comigo: conmigo
sin arte: sin engaño ni recelo
y aún sabrá querello: y claro que sabrá quererlo
hacello: hacerlo

domingo, 18 de setembro de 2016

A mesma idade que a idade do céu


Não somos mais
Que uma gota de luz
Uma estrela que cai
Uma fagulha tão só
Na idade do céu...

Não somos o
Que queríamos ser
Somos um breve pulsar
Em um silêncio antigo
Com a idade do céu...

Calma!
Tudo está em calma
Deixe que o beijo dure
Deixe que o tempo cure
Deixe que a alma
Tenha a mesma idade
Que a idade do céu...

Ranhan! Anhan! Hum! Hum!

Não somos mais
Que um punhado de mar
Uma piada de Deus
Um capricho do sol
No jardim do céu...

Não damos pé
Entre tanto tic tac
Entre tanto Big Bang
Somos um grão de sal
No mar do céu...

Calma!
Tudo está em calma
Deixe que o beijo dure
Deixe que o tempo cure
Deixe que a alma
Tenha a mesma idade
Que a idade do céu
A mesma idade
Que a idade do céu...

Oh! Oh! Oh! Oh! Oh!
Ah! Ah! Ah! Ah!
Ah! Ah! Ah!

Calma!
Tudo está em calma
Deixe que o beijo dure
Deixe que o tempo cure
Deixe que a alma
Tenha a mesma idade
Que a idade do céu
A mesma idade
Que a idade do céu...(2x)

A mesma idade
Que a idade do céu
Calma!

sábado, 17 de setembro de 2016

22

When she was 22 the future looked bright
But she's nearly 30 now and she's out every night
I see that look in her face she's got that look in her eye
She's thinking: How did I get here? And wondering why

It's sad but it's true how society says
Her life is already over
There's nothing to do and there's nothing to say
Til the man of her dreams comes along picks her up and puts her over his shoulder
It seems so unlikely in this day and age

She's got an alright job but it's not a career
Wherever she thinks about it, it brings her to tears
Cause all she wants is a boyfriend
She gets one-night stands
She's thinking: How did I get here?
I'm doing all that I can

It's sad but it's true how society says
Her life is already over
There's nothing to do and there's nothing to say
Til the man of her dreams comes along picks her up and puts her over his shoulder
It seems so unlikely in this day and age

It's sad but it's true how society says
Her life is already over
There's nothing to do and there's nothing to say
Til the man of her dreams comes along picks her up and puts her over his shoulder
It seems so unlikely in this day and age

domingo, 11 de setembro de 2016

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Estudos antropológicos advertem:

Assistir filme pornô seguido de música romântica só quer dizer que você está carente.

domingo, 4 de setembro de 2016

Ar e fogo, terra e água

É um tanto quanto desconfortante saber que alguns entendem a ideia da passagem pela vida das pessoas e encaram isso como algo natural. As vezes parece cruel a simplicidade com que entram ou saem, você se sente... uma estrada e não um porto. Sem querer desmerecer o ensinamento da viagem, mas dói perceber a necessidade de ser um ponto final para alguém que vê a vida como um carro.

Que a minha água flua por pequenos rios, que eu alimente pequenas nascentes e finalmente desemboque num mar infinito.

Efeitos canalizados pela menstruação

Vestida para o Oscar com a segurança de uma folha no meio do outono. O que está acontecendo? Milhões de frases sem nenhuma cor.
Querida, você sempre foi cheia de assuntos. Não calava a porra da boca um minuto porque queria falar de tudo para todos que quisessem ouvir.
"Fala pra caralho"
"Respira, cara"
"Você está muito quieta, ta doente?"
A sua roupa pode ser de ouro, as pessoas vão te ver, mas não te ouvir. O que você tem a dizer? O que tem feito para rechear a sua cabeça de novidades? Esse é o seu corpo, essa é a sua vida: uma memória de merda com muita capacidade de estudar, um corpo bonito que deveria dançar, meditar.
O que você está dizendo? O que você está fazendo? Por que está fazendo assim?
Volta pra dança. Volta a estudar japonês. Volta a escrever. Volta a ser e fazer coisas que fazem de você mais do que uma menina que se veste bem.

04/09/2016

 Ontem eu fui a casa da Karen e ela decidiu parar tudo que estava fazendo para escrever em seu diário.
Mas ela tem um tumblr, por que escrever num caderno para que ninguém veja? Talvez algo mais secreto, mais íntimo, menos interessante ao olhar internauta. Ela pode achar que não vale a pena postar, que as pessoas vão julgá-la e outros mil motivos. Comecei a me lembrar de quando tive um diário. A última vez, foi o Caderno.
O meu blog não tem funcionado como um diário. Não como o anterior... Estranho. Por quê? Páginas na internet não contém só textos inteligentes, com mensagens subliminares ou surpresa no final, Mariana. Por que esperar para postar no seu blog apenas uma poesia, uma música bonita ou um texto que você passou horas remendando? Você nunca teve medo de escrever aqui, por que se limitar agora? Precisa deixar de ser boba. Antes você só sentava, escrevia tudo o que vinha pela cabeça e pimba, postava. Fazia bem... Alívio.