domingo, 21 de agosto de 2016

Às 23h

Eu não estava nervosa e, surpreendentemente, não tremia. Poucas vezes na vida me senti tão segura do que queria. Aguardei perfumada, penteada e bem vestida. Recebi-o carinhosa, falando doce. Esperei que ele dissesse as palavras que já sabíamos que seriam pronunciadas aquela noite.
Questionei-me se caberíamos os dois na cama de solteiro e em resposta ele me puxou pela cintura. Claro, agarrados dava e sobrava espaço. No meio do ocorrido abri meus olhos por alguns minutos e quase não acreditei que o que via era real. Ele estava diante de mim, completamente entregue. Senti como se estivéssemos valsando: os movimentos eram reflexivos. Se ele se virava, me virava junto. No dia seguinte soube que não sou tão carinhosa quanto ele gostaria que eu fosse. Desculpe-me, querido, se cometi alguns erros, foi a minha primeira vez. Eu nunca tinha dormido ao lado de um homem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário