terça-feira, 19 de abril de 2016

Portões da alma

Eu não quero lágrimas, quero olhos. O dia passou e tudo que eu senti foi um remorso, um vazio. A minha energia estava pesada, ruim, se eu desse mais um passo sabia que ia cair na memória de novo. Eu pareço ser uma memória tão boa, que a presença pode ser demais. Tenho medo dos erros e do arrependimento, tenho medo também da tristeza que sinto. Desculpe, eu não queria magoar você. Só de pensar na palavra "desgaste" o meu peito dói.
O meu propósito é te fazer feliz, amor, não levar aborrecimento.
Desculpe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário