sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Porque eu ainda sinto seu cheiro, sua língua, sua mordida, seu jeito encantador de falar besteirinhas no meu ouvido.
Parece que eu consigo desenhar a lápis, tinta ou óleo o brilho dos seus olhos quando eu parava subitamente de te beijar para sorrir.
Parece que os calafrios ainda me sobem pela espinha ao sentir seus dedos nos meandros dos meus cabelos.
Parece que o seu corpo está suspirando nas minhas mãos, ah, meu querido eu queria que as coisas parecessem menos e fossem mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário