sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Aninha

Tinha algo em sua respiração que fazia com que a minha parecesse descompassada. Algo no intervalo do piscar dos olhos que a transportava entre um e outro para um pequeno sonho. E quando começava a cantar uma cantiga para o horizonte, o céu ficava com vergonha do amor que sentia por ela e se alaranjava.
Conseguia ser o profundo perfume do campo de lavanda e o suspiro rendido dos apaixonados. Ana é mais perfeita fonte de inspiração para aquele que não acredita na pureza da vida.
Ana é figura feminina que vive no meu imaginário. Simples, inteligente e bela. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário