quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Você sumiu, cara.
Porra, são horas. Horas.
Puta que pariu. Eu não sei se fico mais puta com você ou comigo. Eu já briguei com você mil vezes mentalmente, já discursei três vezes o quanto nós devemos nos preocupar com quem quer nosso bem estar e, por isso, tentar ao máximo manter essa pessoa sã, pelo menos.
Já chorei e te perdoei muitas vezes por ter caído no sono e dormir, acidentalmente, cinco horas seguidas.
Eu já vivi tantos sentimentos nessas poucas horas que estou sentindo raiva de seja lá o que você está fazendo e não me deixa ficar tranquila. Há segundos em que eu penso em tomar banho e me deitar pra dormir e simplesmente esquecer que tudo isso está acontecendo. Mas é impossível, porque algo ruim pode ter acontecido e você pode precisar de ajuda. E na pior das hipóteses, você pode lembrar que eu existo e dizer "Olá, imbecil, eu to vivo, ta? Já pode parar de se preocupar".
É assustador. Espero que nunca tenha que passar por isso, sinceramente. Espero que quando estiver esperando para conversar com alguém, essa pessoa acorde - se estiver dormindo - receba um pingo de sinal no meio do deserto, ou sei lá, qualquer coisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário