sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Domingo

Não sei como começou... Eu acordei com os olhos empapuçados. Queria dormir mais do sono pesado que tinha acordado. A minha cota de sonhos havia sido batida nas últimas semanas, enquanto ia e vinha da faculdade no ônibus, então imagino que seja por isso que nada além do esquecimento passa por mim pela madrugada.
Não parecia que ia abrir o sol de matar, então resolvi vestir uma bermuda (que por via das dúvidas fazia metade do papel de uma calça e uma metade a mais de um short). A professora respondera a mensagem às seis da manhã dizendo que sim. Então há ensaio.
Preparei-me mentalmente para não cometer erros bobos e aproveitar o máximo possível do tempo na casa da Salomé, que, a propósito, é a única que me chama de Jade.
O trânsito me prendeu por uma hora no ônibus até chegar no apartamento dela. (que a propósito, tem piscina, uma GRANDE piscina).

(...)

Bem, hoje já é a primeira sexta-feira depois desse dia. Eu tive que parar de escrever para ajudar na cozinha e acabou que não voltei.
Quase uma semana depois, todos os meus planos para esse domingo estão resumidos a um perfume gostoso, músicas em japonês e muito, muito sonho diante dos meus olhos.
Qualquer hora dessas eu tenho uma overdose e acabo acordando, mas até lá...

Nenhum comentário:

Postar um comentário